Soro antiofídico é feito com sangue de ovelha? Saiba como é feito

O soro antiofídico é um antídoto criado para conter as toxinas que estão presentes no venenos de cobra, podendo ser injetados no organismo humano, que no caso das peçonhentas podem ser fatal em alguns casos, dependendo da quantidade que entrará no corpo humano.

De acordo com o site oficial do Instituto Butantan, o soro antiofídico tem que ser feito através de cinco passos, podendo utilizar os cavalos ou ovelhas para teste, detalhando da seguinte maneira, confira:

Primeiro passo: deve-se extrair o veneno das serpentes em questão para transformá-lo em um antígeno. “Antígenos são substâncias capazes de fazer o sistema imunológico reagir, produzindo anticorpos”.

Segundo passo: a ação seguinte é aplicar os antígenos em cavalos ou ovelhas – em pequenas doses que não prejudicam os animais, explica o site do Butantan.  O objetivo é  “provocar a produção de anticorpos”, detalha o instituto. “Dependendo do antígeno, será produzido um tipo de anticorpo específico contra cada veneno”, afirma o site.

Terceiro passo: seguindo o caminho da produção do soro antiofídico, depois que forem produzidos os anticorpos suficientes no organismo do cavalo, o plasma do animal é coletado. O plasma é  a parte do sangue onde estão alojados os anticorpos, explica o Butantan. 

Quarto passo: o plasma segue, então, para ser testado. Se aprovado, passa a ser processado industrialmente para se transformar no soro. “Os soros antiofídicos são envasados em frascos-ampola com 10 ml de solução líquida contendo anticorpos purificados”, informa o Butantan.

 Quinto passo: “durante suas diversas etapas de produção, os soros passam por testes de controle de qualidade, garantindo ao final produtos seguros e eficazes.”

Quem descobriu a produção com sangue de ovelha?

O médico-veterinário Rui Seabra Ferreira Junior, responsável pelo Centro de Veneno e Animais Peçonhentos da Unesp/Botucatu, foi o desenvolvedor do método de produção de soro antiofídico de maior potência, utilizando ovinos ao invés de cavalos como animais soroprodutores.

1 comentário
  1. […] publicação oficial no site, o Instituto Butantan revelou todos os passos de como ocorro o processo de desenvolvimento, confira a […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.